terça-feira, 30 de outubro de 2018

Do Coração Acordeão:

«A potência censora e nefasta do politicamente correcto é real, sim; o problema é toda a porcaria que entretanto se tem incluído na pastilha do remédio: já não há facho, xenófobo, racista, anti-semita e o raio que não se sinta vítima do — e, portanto, legitimado pelo — politicamente correcto. De quem antes se dizia boçal passou a dizer-se politicamente incorrecto, uma coisa boa, na medida em que é o contrário dessa coisa má que é o politicamente correcto.»

1 comentário:

Maria Antonieta disse...

Para se entrar no «Coração do Acordeão», é preciso anuir a uma data de coisas que não tive nem terei paciência para ler, muito menos para anuir, logo, fico-me pelo pequeno texto dos Canhões...

Ora bolas! Não entendi foi nada...se é nefasta a potência censora do politicamente correcto, não será melhor ser-se like me?: borrifarem-se para isso e serem social e politicamente senhores das suas opiniões, sejam elas consideradas correctas ou não?

E faça favor de responder, demore o tempo que demorar.
Se preferir, um sorriso já me basta...:)