segunda-feira, 8 de abril de 2013

O teu rosto será o último

Li esta tarde metade de O teu rosto será o último, prémio Leya 2011, e senti-me apaziguado. Um grossista do papel impresso pode ter um prémio que cria um bestseller em vez de premiar um livro que foi escrito para ser um bestseller. O livro de João Ricardo Pedro, tanto quanto posso julgar, é bom e honesto. Alimenta-se de contos para ser um romance e, na parte que li, tem pelo menos dois excelentes momentos: O Índio e O barbeiro Alcino.
(Para relativizar e armar um pouco, ia dizer que não conheço os restantes livros concorrentes e perdedores, mas não é totalmente verdade: escrevi um deles, mais perdedor do que concorrente.)

Sem comentários: