terça-feira, 29 de novembro de 2011

Recado ao artista quando jovem

O candidato a escritor que vive a tentar equilibrar o trabalho de fundo com a diarística de um blogue um dia descobrirá que há vertentes incompatíveis na escrita. Um post de cinco linhas impede uma página de romance. Inversamente, o trabalho de fôlego faz hibernar blogues por um longo período.
A declinação das editoras surge então como convite a voltar ao trabalho, tem esta faceta positiva. É quando chega a carta com a fórmula amável que o escriba retoma o verdadeiro ofício. Uma recusa é um aviso de que o recreio acabou, já não é sério viver à sombra da obra feita. Porque não existe obra, di-lo a fatídica missiva.

Sem comentários: